Acessibilidade na Web: um direito de todos

Introdução

Olá pessoal, o tema de hoje é bastante relevante para os desenvolvedores, a pesar de que alguns nunca se preocuparam com isso. Acessibilidade na Web!

Você já parou para pensar como as pessoas cegas, surdas e/ou com mobilidade reduzida utilizam o computador? Convido você a fazer um teste, acesse algum site, pode ser o seu próprio caso tenha, feche os olhos e tente navegar! Conseguiu?

É, isso mesmo! É MUITO difícil acessar a web quando não conseguimos enxergar, e principalmente quando não foi projetada para ser acessível por todos.

Fonte: eSSENTIAL ACCESSIBILITY

O que é Acessibilidade

Antes de começar a falar sobre a acessibilidade voltada para a web, é preciso entendermos o que é acessibilidade, existem muitas definições de acessibilidade algumas apresentaremos logo abaixo.

O Decreto Federal n° 5.296/2004 [1], em seu artigo 8°, I, estabelece:

“I — acessibilidade: condição para utilização, com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação, por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida;”

A Convenção Internacional Sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, adotada pela ONU em 30 de março de 2007, em nova York, e ratificada pelo Decreto Federal n° 6.949 de 25 de agosto de 2009 [2], estabelece em seu artigo 9 o, item 1:

“A fim de possibilitar às pessoas com deficiência viver com autonomia e participar plenamente de todos os aspectos da vida, os Estados Partes deverão tomar as medidas apropriadas para assegurar-lhes o acesso, em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, ao meio físico, ao transporte, à informação e comunicação, inclusive aos sistemas e tecnologias da informação e comunicação, bem como a outros serviços e instalações abertos ou propiciados ao público, tanto na zona urbana como na rural”.

A norma Brasileira ABnT nBR 9050:2004 [3] define em seu item 3.1:

“Acessibilidade: Possibilidade e condição de alcance, percepção e entendimento para a utilização com segurança e autonomia de edificações, espaço, mobiliário, equipamento urbano e elementos.”

Como podemos ver nas definições acima, acessibilidade está ligada diretamente em tornar algo acessível, dar autonomia, está relacionado com igualdade de oportunidades e finalmente tornar os sistemas e tecnologias de informação e comunicação acessíveis, ou seja, se existe um sistema e está disponível na web, que ele esteja disponível para todos, independente de ser ou não portadora de deficiência.

O que é Acessibilidade na Web

“Acessibilidade na web significa que pessoas com deficiência podem usar a web. Mais especificamente, a acessibilidade na web significa que pessoas com deficiência podem perceber, entender, navegar, interagir e contribuir para a web. E mais. Ela também beneficia outras pessoas, incluindo pessoas idosas com capacidades em mudança devido ao envelhecimento” [4].

Não é de hoje que estamos presenciando a evolução da web, e juntamente com ela diversas tecnologias que a cercam, são cada dia mais aprimoradas para atingirem um público maior. Neste sentido Tim Berners-Lee [5] afirma que o poder da web está na sua universalidade. o acesso por todas as pessoas, não obstante a sua deficiência, é um aspecto essencial.

Mas afinal, como essas pessoas acessam a web?

As pessoas portadoras de alguma deficiência e/ou mobilidade reduzida, fazem uso do computador, consequentemente da web, através do uso de tecnologias assistivas, tais como, programas leitores de tela, ampliadores de tela, teclados alternativos, entre outros.

De maneira resumida, é possível dizer que garantir a acessibilidade na web é permitir que qualquer indivíduo, utilizando qualquer tecnologia de navegação, visite qualquer sítio e obtenha completo entendimento das informações contidas nele, além de ter total habilidade de interação [10]. Isso significa tornar todos os serviços, assuntos e publicações tão fáceis de serem utilizados por todas as pessoas, que até esqueceremos que há diferenças [11].

Como projetar sistemas web acessíveis

O fundamento teórico mais relevante para o conceito de acessibilidade é o Desenho universal, que é o desenvolvimento de produtos e ambientes para serem usáveis por todas as pessoas, na maior extensão possível, sem a necessidade de adaptação ou desenho especializado [4].

São sete os princípios do Desenho universal [12]:

    • Equiparação nas possibilidades de uso: pode ser utilizado por qualquer usuário em condições equivalentes.
    • Flexibilidade de uso: atende a uma ampla gama de indivíduos, preferências e habilidades individuais.
    • Uso simples e intuitivo: fácil de compreender, independentemente da experiência do usuário, de seus conhecimentos, aptidões linguísticas ou nível de concentração.
    • Informação perceptível: fornece de forma eficaz a informação necessária, quaisquer que sejam as condições ambientais/físicas existentes ou as capacidades sensoriais do usuário.
    • Tolerância ao erro: minimiza riscos e consequências negativas decorrentes de ações acidentais ou involuntárias.
    • Mínimo esforço físico: pode ser utilizado de forma eficiente e confortável, com um mínimo de fadiga.
    • Dimensão e espaço para uso e interação: espaço e dimensão adequados para a interação, o manuseio e a utilização, independentemente da estatura, da mobilidade ou da postura do usuário.

Ao se aplicarem à web os princípios do Desenho universal, conclui-se que os objetos e ambientes utilizados nos sítios devem ser projetados para serem utilizados, sem modificação ou assistência externa, pelo maior número de pessoas possível, independentemente de suas habilidades motoras, visuais, auditivas, táteis ou de qualquer outra condição que possa oferecer dificuldade na finalização de uma tarefa.

Quem se beneficia com a web acessível?

A partir de uma web acessível, muitos cenários aparentemente improváveis tornam-se possíveis, não só para pessoas com deficiência, mas também para qualquer categoria de usuário, tais como descrito nos cenários abaixo:

    • Uma mulher cega, utilizando um leitor de telas, pesquisa a restituição de imposto de renda no sítio da Receita Federal;
    • Um homem cego e sem braços procura sua ex-professora em um sistema de busca utilizando um programa de reconhecimento de voz para entrar comandos no computador e receber retorno a partir do leitor de telas;
    • Um homem com paralisia cerebral, com grandes dificuldades motoras e que só utiliza um dedo para teclar, atualiza seu perfil em uma rede social;
    • Um homem com deficiência motora, que usa um mouse adaptado, faz compras em uma loja virtual;
    • Uma jovem tetraplégica, utilizando apenas um ponteiro na cabeça, procura informações sobre células-tronco em sítios especializados;
    • Uma mulher com deficiência intelectual faz exercícios pela web para melhorar sua comunicação;
    • Um senhor surdocego namora pela web, utilizando um dispositivo que mostra em Braille as informações exibidas na tela;
    • Uma mulher com baixa visão procura informações sobre investimentos e a crise econômica mundial, utilizando um programa ampliador de tela;
    • Um programador daltônico testa uma aplicação na web, procurando erros;
    • Um jovem surdo ou com deficiência auditiva que faz um curso de inglês à distância.
    • Uma jovem com dificuldade de leitura, em virtude da combinação de transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) e dislexia, estudante do ensino médio, que gosta das aulas de literatura, complementa a leitura de livros e estudos por meio de aulas on-line. Ela utiliza um programa que realça o texto na tela, ao mesmo tempo em que é realizada uma leitura em voz alta [15].

Para ilustrar melhor a importância da acessibilidade em diferentes contextos de uso da web, a seguir são apresentados alguns cenários em que pessoas sem deficiência são beneficiadas e usuárias diretas da acessibilidade:

    • Homem destro, com tendinite, faz pesquisa na web para trabalho da faculdade, utilizando com dificuldades o mouse, mas navegando com a mão esquerda sem encontrar barreiras de teclado na página;
    • Mulher analfabeta funcional tenta tirar uma certidão no sítio da prefeitura da sua cidade, acessando informações representadas por ícones na página;
    • Casal de idosos, já com alguma dificuldade para ler textos pequenos e que possui pouca experiência com a Internet, amplia o tamanho do texto para comprar passagens aéreas em promoção para visitarem o filho em outro estado;
    • Leigo no uso de computadores vê-se obrigado a usar a Internet para realizar a matrícula escolar de seu filho, seguindo as orientações de um tutorial de uso do sistema;
    • Brasileiro, sem fluência no espanhol, procura informações sobre Buenos Aires em um sítio de língua espanhola acessando as galerias de fotos;
    • Criança, ainda com linguagem em desenvolvimento, procura um jogo na web em uma página com animações que identificam o jogo que ela procura;
    • Robôs de busca, como o Yahoo, Google, Bing etc., que só indexam texto, procuram sítios com informações sobre a Copa do Mundo no Brasil baseados na semântica dos documentos HTML;
    • Funcionário novo na empresa utiliza pela primeira vez um sistema de gerenciamento de projetos via web depois de assistir a um tutorial de uso do sistema;
    • Homem de meia-idade aumenta a fonte dos textos de um sítio ao navegar pelo seu netbook com tela de apenas 9 polegadas;
    • Utilizando conexão de baixa velocidade, mulher tenta comprar um eletrodoméstico em um sítio de comércio eletrônico construído e estruturado de forma a consumir pouca banda da Internet;
    • Usuário procura os horários da sessão de cinema em seu tablet com tela de 7 polegadas e aumenta e diminui o tamanho do texto conforme sua necessidade de navegação;
    • Mulher atrasada tenta fazer check-in pelo sítio da companhia aérea utilizando seu smartphone no táxi, a caminho do aeroporto, em um formulário simples e de fácil compreensão;
    • A caminho de uma reunião, utilizando seu smartphone, homem utiliza o sistema de busca de um sítio web para localizar o endereço da sede da empresa.

Alguns benefícios em ter um site acessível

    • Maior valor agregado à empresa e fortalecimento da sua marca;
    • Melhoria de performance e de usabilidade, criando vantagem competitiva;
    • Ampliação e diversificação de público;
    • Fidelização de usuários e clientes;
    • Maior visibilidade em buscadores como Google, Bing etc.;
    • Facilidade e menor custo na manutenção de conteúdo;
    • Aumento de compatibilidade com todos os dispositivos, plataformas, sistemas e navegadores;
    • E muitos outros.

Conclusão

Acessibilidade na web é a possibilidade e a condição de alcance, percepção, entendimento e interação para a utilização, a participação e a contribuição, em igualdade de oportunidades, com segurança e autonomia, em sítios e serviços disponíveis na web, por qualquer indivíduo, independentemente de sua capacidade motora, visual, auditiva, intelectual, cultural ou social, a qualquer momento, em qualquer local e em qualquer ambiente físico ou computacional e a partir de qualquer dispositivo de acesso.

Ahh, e não esquece de curtir e seguir a Vídeos de Ti nas redes sociais, blz?

É isso. Até a próxima!

Texto é um resumo baseado na cartilha Acessibilidade na WEB da W3C, portando mantida as referências de na mesma numeração da original.

label,

About the author

Add a Comment